Médica

Manchas após o tratamento de varizes: Descubra a causa e a solução

Quando os vasinhos são tratados, é bastante comum que se apareçam manchas escurecidas no local. Existem pesquisas da NCBI que mostram que a tendência é que após o tratamento de varizes pela escleroterapia, existe 30% de chance de que manchas apareçam. Tornando essa porcentagem mais simples, seria 1 em cada 3 pessoas alegaram manchas após tratamento de varizes. Porém, outros estudos da mesma organização mostram que essas manchas tendem a sumir com o passar do tempo, sem necessidade de utilizar cremes ou outros do tipo. Geralmente, 80% das manchas desaparecem completamente, no período de 6 meses a 2 anos.
Afinal, o que causa essas manchas?
Existem dois mecanismos que são responsáveis pela formação de manchas escuras na pele após o tratamento de varizes pela escleroterapia. Um é a hiperpigmentação pós operatória, mas o principal é o depósito dérmico de hemossiderina. Essa substância deriva-se da degradação da hemoglobina, o pigmento contido nos glóbulos vermelhos que é responsável pela cor do sangue.
Então, dentro dos vasinhos que passaram pelo tratamento de varizes pela escleroterapia, que contém sangue, após o procedimento o sangue coagula e acaba preso dentro do vasinho que foi tratado. Como o vasinho foi eliminado pelo tratamento de varizes através da escleroterapia, o pigmento acaba sendo depositado na derme, semelhante a tinta de tatuagem. Por isso, vemos a cor escura na pele.
Fatores como hipertensão, níveis de ferritina aumentados e o tipo da substância utilizada no tratamento de varizes, podem aumentar a chance dessas manchas surgirem. Substâncias de potência média como a glicerina e a glicose tem poucas chances de causarem essas manchas, mas substâncias potentes como o polidocanol e o sotradecol podem aumentar essa probabilidade. É bom avaliar a substância que será utilizada, mas é importante lembrar que as manchas somem com o passar do tempo. Portanto, confie na escolha de seu angiologista.
As manchas causadas pela reação inflamatória acabam ocorrendo pelo excesso de melanina, uma resposta das nossas células à intervenção causada pela escleroterapia. É importante lembrar que todo tipo de interferência na pele pode causar essas manchas, não somente o tratamento de varizes pela escleroterapia, mas também contusões, inchaços, cortes, entre outros. Indivíduos de pele branca apresentam essas manchas com menos frequência do que indivíduos de pele negra. Além disso, a exposição ao sol pode agravar essa condição, fazendo com que a aparência da mancha se torne pior. O uso de antibióticos da família das tetraciclinas também pode agravar esse tipo de condição.
Como evitar que essas manchas apareçam?
Por mais que seu angiologista faça o tratamento de varizes de forma correta, essas manchas sempre podem surgir. Então, não há como evitar, até o momento. Como dito anteriormente, existem fatores que podem aumentar as chances dessa condição aparecer. Porém, é importante ressaltar que esse procedimento só deve ser feito por um angiologista sério e habilitado para isso, se os riscos existem mesmo com um bom angiologista, com uma pessoa não habilitada se tornam ainda maiores. Um exemplo disso é que somente um angiologista habilitado pode saber que substância utilizar, a quantidade certa do medicamento, a pressão na injeção. Não confie seu corpo a uma pessoa que não possui competência para realizar o procedimento, pois além das chances das manchas surgirem serem maiores, também podem haver outras complicações. Então, consulte sempre um angiologista. Não deixe o barato sair caro.
De acordo com estudos americanos publicados pelo Journal of Vascular Surgery, a retirada completa do sangue coagulado que se forma dentro do vasinho tratado em até três semanas após a sessão de escleroterapia, pode diminuir de forma significativa a formação de manchas escuras na região. Por essa razão, é importante que se procure novamente o angiologista depois da sessão de tratamento. Assim, o médico pode verificar a existência de qualquer coágulo sanguíneo, que eventualmente possa ter se formado dentro dos vasos tratados.
Se houver a constatação de qualquer coágulo sanguíneo, a recomendação é que seja realizada então a retirada do mesmo. Essa retirada é feita através de uma pequena e discreta incisão, diretamente na área do vasinho. O médico irá espremer a região para que esse coágulo possa sair pela incisão, sem maiores intervenções cirúrgicas. A incisão é feita diretamente no consultório médico, com a aplicação de anestesia local.
Outro estudo importante feito pela NCBI sobre o tratamento de varizes através da escleroterapia, que também merece destaque, mostrou um declínio nas probabilidades de 10% para apenas 2% de chances de formação de manchas hipercrômicas, quando existe o uso da compressão feita através das meias elásticas de 20-30 mmHg. Para que haja essa diminuição, é importante que as meias de compressão sejam utilizadas durante as três semanas seguintes a sessão de escleroterapia. Inclusive, o estudo mostrou que quanto maior o tempo de utilização das meias elásticas, maiores serão os resultados.
Estou com essas manchas na pele, o que faço?
Conforme dito no início do texto, após surgirem, as manchas tendem a desaparecer um tempo depois do tratamento de varizes. Tratamentos dermatológicos e cosméticos podem ajudar a diminuir o tempo, pois afinal, nenhum paciente gostaria de esperar de 6 meses a 2 anos para que essas manchas desapareçam. As manchas que derivam da hiperpigmentação pós inflamatória tendem a amenizar com o uso de cremes clareadores e ácidos tipo o glicólico, hidroxílico e retinóico. Outros ácidos que também ajudam a diminuir as manchas são o azeláico, kójico e o fítico.
A forma de utilizar esses ácidos ou cremes e a posologia não são sempre certas, variam de caso para caso. Além de se consultar com um angiologista, é importante ir a um dermatologista, pois somente ele poderá te ajudar a saber que medicamento utilizar e como utilizar. Assim, reações indesejadas são evitadas e ganha-se um melhor efeito no tratamento.
Por outro lado, as manchas que são formadas pelo pigmento contido no sangue tendem a ser mais complicadas de serem tratadas, pois respondem bem pouco ao tratamento com cremes e ácidos. Por isso, nesses casos são indicados procedimentos como laser e a luz intensa pulsada.
Sabendo disso, é notória a importância de se consultar com um bom angiologista e ter apoio de um bom dermatologista, pois ambos atuando juntos podem com certeza te indicar uma solução melhor e mais plausível. Portanto, não pense duas vezes antes de se consultar e siga as orientações de seus médicos.
Quando os vasinhos são tratados, é bastante comum que se apareçam manchas escurecidas no local. Existem pesquisas da NCBI que mostram que a tendência é que após o tratamento de varizes pela escleroterapia, existe 30% de chance de que manchas apareçam. Tornando essa porcentagem mais simples, seria 1 em cada 3 pessoas que fizeram o tratamento de varizes pela escleroterapia. Porém, outros estudos da mesma organização mostram que essas manchas tendem a sumir com o passar do tempo, sem necessidade de utilizar cremes ou outros do tipo. Geralmente, 80% das manchas desaparecem completamente, no período de 6 meses a 2 anos.
Afinal, o que causa essas manchas?
Existem dois mecanismos que são responsáveis pela formação de manchas escuras na pele após o tratamento de varizes pela escleroterapia. Um é a hiperpigmentação pós operatória, mas o principal é o depósito dérmico de hemossiderina. Essa substância deriva-se da degradação da hemoglobina, o pigmento contido nos glóbulos vermelhos que é responsável pela cor do sangue.
Então, dentro dos vasinhos que passaram pelo tratamento de varizes pela escleroterapia, que contém sangue, após o procedimento o sangue coagula e acaba preso dentro do vasinho que foi tratado. Como o vasinho foi eliminado pelo tratamento de varizes através da escleroterapia, o pigmento acaba sendo depositado na derme, semelhante a tinta de tatuagem. Por isso, vemos a cor escura na pele.
Fatores como hipertensão, níveis de ferritina aumentados e o tipo da substância utilizada no tratamento de varizes, podem aumentar a chance dessas manchas surgirem. Substâncias de potência média como a glicerina e a glicose tem poucas chances de causarem essas manchas, mas substâncias potentes como o polidocanol e o sotradecol podem aumentar essa probabilidade. É bom avaliar a substância que será utilizada, mas é importante lembrar que as manchas somem com o passar do tempo. Portanto, confie na escolha de seu angiologista.
As manchas causadas pela reação inflamatória acabam ocorrendo pelo excesso de melanina, uma resposta das nossas células à intervenção causada pela escleroterapia. É importante lembrar que todo tipo de interferência na pele pode causar essas manchas, não somente o tratamento de varizes pela escleroterapia, mas também contusões, inchaços, cortes, entre outros. Indivíduos de pele branca apresentam essas manchas com menos frequência do que indivíduos de pele negra. Além disso, a exposição ao sol pode agravar essa condição, fazendo com que a aparência da mancha se torne pior. O uso de antibióticos da família das tetraciclinas também pode agravar esse tipo de condição.
Como evitar que essas manchas apareçam?
Por mais que seu angiologista faça o tratamento de varizes de forma correta, essas manchas sempre podem surgir. Então, não há como evitar, até o momento. Como dito anteriormente, existem fatores que podem aumentar as chances dessa condição aparecer. Porém, é importante ressaltar que esse procedimento só deve ser feito por um angiologista sério e habilitado para isso, se os riscos existem mesmo com um bom angiologista, com uma pessoa não habilitada se tornam ainda maiores. Um exemplo disso é que somente um angiologista habilitado pode saber que substância utilizar, a quantidade certa do medicamento, a pressão na injeção. Não confie seu corpo a uma pessoa que não possui competência para realizar o procedimento, pois além das chances das manchas surgirem serem maiores, também podem haver outras complicações. Então, consulte sempre um angiologista. Não deixe o barato sair caro.
De acordo com estudos americanos publicados pelo Journal of Vascular Surgery, a retirada completa do sangue coagulado que se forma dentro do vasinho tratado em até três semanas após a sessão de escleroterapia, pode diminuir de forma significativa a formação de manchas escuras na região. Por essa razão, é importante que se procure novamente o angiologista depois da sessão de tratamento. Assim, o médico pode verificar a existência de qualquer coágulo sanguíneo, que eventualmente possa ter se formado dentro dos vasos tratados.
Se houver a constatação de qualquer coágulo sanguíneo, a recomendação é que seja realizada então a retirada do mesmo. Essa retirada é feita através de uma pequena e discreta incisão, diretamente na área do vasinho. O médico irá espremer a região para que esse coágulo possa sair pela incisão, sem maiores intervenções cirúrgicas. A incisão é feita diretamente no consultório médico, com a aplicação de anestesia local.
Outro estudo importante feito pela NCBI sobre o tratamento de varizes através da escleroterapia, que também merece destaque, mostrou um declínio nas probabilidades de 10% para apenas 2% de chances de formação de manchas hipercrômicas, quando existe o uso da compressão feita através das meias elásticas de 20-30 mmHg. Para que haja essa diminuição, é importante que as meias de compressão sejam utilizadas durante as três semanas seguintes a sessão de escleroterapia. Inclusive, o estudo mostrou que quanto maior o tempo de utilização das meias elásticas, maiores serão os resultados.
Estou com essas manchas na pele, o que faço?
Conforme dito no início do texto, após surgirem, as manchas tendem a desaparecer um tempo depois do tratamento de varizes. Tratamentos dermatológicos e cosméticos podem ajudar a diminuir o tempo, pois afinal, nenhum paciente gostaria de esperar de 6 meses a 2 anos para que essas manchas desapareçam. As manchas que derivam da hiperpigmentação pós inflamatória tendem a amenizar com o uso de cremes clareadores e ácidos tipo o glicólico, hidroxílico e retinóico. Outros ácidos que também ajudam a diminuir as manchas são o azeláico, kójico e o fítico.
A forma de utilizar esses ácidos ou cremes e a posologia não são sempre certas, variam de caso para caso. Além de se consultar com um angiologista, é importante ir a um dermatologista, pois somente ele poderá te ajudar a saber que medicamento utilizar e como utilizar. Assim, reações indesejadas são evitadas e ganha-se um melhor efeito no tratamento.
Por outro lado, as manchas que são formadas pelo pigmento contido no sangue tendem a ser mais complicadas de serem tratadas, pois respondem bem pouco ao tratamento com cremes e ácidos. Por isso, nesses casos são indicados procedimentos como laser e a luz intensa pulsada.
Sabendo disso, é notória a importância de se consultar com um bom angiologista e ter apoio de um bom dermatologista, pois ambos atuando juntos podem com certeza te indicar uma solução melhor e mais plausível. Portanto, não pense duas vezes antes de se consultar e siga as orientações de seus médicos.
Se você gostou desse conteúdo, volte ao início e avalie com 5 estrelinhas! Curta e compartilhe!
Queremos também que deixe o seu comentário e sugestão de qual assunto você gostaria que abordássemos aqui. Abraço!

2 respostas

  1. Tenho essas manchas na canela há mais 8 anos. As varizes foram operadas. Gostaria de saber se posso fazer uma tatuagem em cima delas para esconde las.

    1. Olá, Pedro, boa noite! As manchas são um sinal externo de uma situação presente bem no interior do seu sistema circulatório venoso, há muito, muito tempo. As varizes operadas teriam sido a “prova do crime”; qual crime? O regime de pressão constantemente aumentada no interior das veias, dilatando-as, fazendo extravasar algumas células. Essas células teriam por missão navegar (“streaming”) e não, serem lançadas pra fora do sistema, no caso, os vasos, as vias de circulação. Entretanto, a pressão alta dilatando os vasos, faz abrir passagens (“poros”) na parede das veias e essas células circulantes estarão, literalmente, fora do jogo. Sendo assim, elas farão soar o sinal de alarme e denunciarão que algo errado está acontecendo. Dentre as células exiladas da corrente sanguínea, as hemácias (glóbulos vermelhos), uma vez fora da corrente e dentro da sua pele, irão explodir e extravasar a hemoglobina, que contém ferro. Esse ferro, da mesma forma que ocorre no meio ambiente, acaba por “enferrujar” e virar um pigmento escuro. Aí está a odisséia das suas manchas. Resumo: as manchas são o resultado de uma disfunção no sistema das veias. A operação das varizes reduz o impacto do problema mas não é capaz de fazer cessar essa disfunção. Fazer a tatuagem não é a questão fundamental, agora. Trabalhar para trazer de volta o equilíbrio, dia após dia, isso sim, é o seu principal objetivo. Sozinho, você dificilmente irá conseguir. Busque um angiologista filiado à sociedade brasileira de angiologia e cirurgia vascular (SBACV) e comece a sua jornada rumo a um estado melhor (as manchas tendem a clarear quando o tratamento adequado é implementado). Esperando ter-lhe ajudado, um forte abraço e cuide-se! Cláudia Sathler

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.