O que acontecerá depois que eu operar minhas varizes?

O que acontecerá depois que eu operar minhas varizes?

Dúvidas comuns sobre a cirurgia de varizes

Introdução

Não importa quantas centenas de artigos já tenham sido escritos sobre esse tema, as dúvidas nunca cessam e aqui vai mais um…
Antes de tudo, vamos definir melhor o assunto, a saber, o que acontece com alguém que foi submetido a uma cirurgia de varizes, após alguns anos?
Não iremos detalhar o que acontece no pós-operatório de cirurgia de varizes, nem, tampouco, citar complicações pós-operatórias.
Fique bem claro, nosso escopo é o que chamamos de “história natural da doença varicosa” após o tratamento intervencionista.
Hoje em dia, a palavra intervenção é mais apropriada do que a palavra cirurgia, pois há diversos procedimentos minimamente invasivos para o tratamento das varizes.
Mesmo assim, usaremos a palavra cirurgia também de forma genérica, significando qualquer procedimento feito para tratamento de varizes.

A importância de entender o que acontece depois da cirurgia de varizes

Se especularmos sobre o grau de satisfação com a cirurgia de varizes, é provável que a frustração suplante a satisfação entre os que já foram operados.
Se você foi operado (a) para retirada de pequenos vasos ou varizes de pequeno calibre, sem intervenção direta na veia safena, talvez o seu caso seja mais leve e não se encaixe nesta discussão.
Trataremos aqui de pacientes com varizes evidentes e sintomáticas, quadros quase sempre associados à insuficiência concomitante de algum tronco safeno.
São pacientes com dor e inchaço nas pernas, podendo também exibir alterações da pele, até mesmo, úlceras.
Para nós, angiologistas, isso é motivo de constante atenção e pesquisa. Prova disso é o surgimento de novas opções de tratamento, pelo avanço da tecnologia.
A tecnologia tende a aperfeiçoar a cirurgia e não, substituí-la.
Um exemplo disso é o uso do ultrassom portátil no centro cirúrgico,   auxiliando no desempenho e no controle imediato dos procedimentos.
Entretanto, no tocante à intervenção da veia safena, tanto a cirurgia convencional quanto as termoablações com LASER ou RADIOFREQUÊNCIA, veremos que nenhuma delas pode ser considerada definitiva.
Para entender o tratamento de termoablaçao, ver Termoablacao da veia safena
Portanto, o ponto principal é este: VARIZES CONTINUAM A SE DESENVOLVER NO INDIVÍDUO DURANTE TODA A VIDA!!! É GENÉTICO, O MOTIVO!!!
Varizes retiradas ou cauterizadas não voltam, mas veias que apresentavam-se normais no momento da intervenção podem se deteriorar no decorrer do tempo.
Então, o mais importante a saber é, uma vez diagnosticado o problema das varizes, os cuidados devem ser mantidos pelo resto da vida do paciente.
Sendo assim, a operação ou demais intervenções para o tratamento das varizes seriam em vão?
Pelo contrário, veremos que o tratamento das varizes, via de regra, ajuda muito os pacientes!

O que acontecerá depois que eu operar minhas varizes?

Agora sim, vamos direto ao ponto: pacientes com varizes evidentes e sintomáticas, muitas vezes associadas à insuficiência de veia safena, são beneficiados com o tratamento.
Tanto a cirurgia convencional (ver video do link Safena-mitos) quanto a termoablação da veia safena eliminam sintomas e proporcionam melhora estética significativa.
Inúmeros estudos científicos demonstram dados comparativos que atestam a eficácia dos tratamentos na maioria dos pacientes, no pós-operatório imediato.
Contudo, à medida em que o tempo passa, a doença continua a se desenvolver e o quadro do paciente pode se deteriorar, novamente.
Além da hereditariedade, que não pode ser mudada, fatores de risco como obesidade, sedentarismo, muitas gestações e permanecer muitas horas de pé, diariamente, associam-se à recorrência das varizes.

Qual a probabilidade de eu tornar a ter varizes, após a cirurgia?

De forma geral, podemos afirmar que essa probabilidade aumenta com o tempo decorrido, após a intervenção.
Selecionamos 2 importantes estudos sobre o que acontece depois do tratamento cirúrgico convencional e da termoablação com LASER da veia safena, num prazo de até 5 anos.
Ambos demonstram que aproximadamente metade dos pacientes irá desenvolver novas varizes e voltar a ter sintomas no período entre 3 e 5 anos após o procedimento terapêutico.
Se você quiser conferir o texto integral desses estudos, ver links
http://www.jvascsurg.org/article/S0741-5214(03)00601-3/pdf
http://www.ejves.com/article/S1078-5884(15)00544-4/pdf
E agora? Você, meu caro (a) leitor (a), que tem varizes e sofre com isso, mas também sofre pelo medo de submeter-se a um procedimento médico, ficou desanimado (a)?
Anime-se!!! O tratamento médico ajuda o paciente, isso é fato! A recorrência pode acontecer, mas quase sempre será menor que o quadro original.
Tratamentos minimamente invasivos podem ser feitos várias vezes, conforme a necessidade, frequentemente fora do hospital, em consultório ou clínica.
Acima de tudo, você precisa ajudar-se a si mesmo (a)!

Como reduzir a chance de desenvolver novas varizes, após a cirurgia?

Não poderíamos encerrar o texto sem, antes, deixar algumas dicas para reduzir a chance de desenvolver varizes, uma vez tendo sido operado (a).

  • Mantenha um peso corpóreo adequado
  • Faça exercícios, regularmente, sobretudo para os membros inferiores
  • Durante a gestação, procure ser acompanhada por um angiologista. Ver Você sabe o que faz um angiologista?
  • Movimente-se o máximo possível durante as horas de trabalho
  • Após a intervenção, não desapareça do consultório médico!
  • Siga todas as orientações do seu especialista
  • As meias elásticas são parte fundamental do tratamento e da prevenção
  • Faça avaliações periódicas com exames de imagem

Conclusão

Esperamos que este texto o (a) ajude a conscientizar-se da natureza crônica da doença varicosa.
Como em caso de Hipertensão Arterial e Diabetes, nunca podemos descuidar da circulação venosa.
Infelizmente, não há cura para varizes, nem para a maioria das doenças.
A boa notícia, é que, sob os cuidados de um especialista em Angiologia, o problema das varizes poderá ser controlado e a boa qualidade de vida, preservada.
Se você gostou deste conteúdo, curta abaixo e compartilhe nas redes sociais, agradecemos sua visita!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.